PLANEJAMENTO FINANCEIRO EM ÉPOCA DE PANDEMIA



A paralisação das atividades econômicas em função da pandemia causou preocupação e muitas dúvidas em relação as finanças da maioria das famílias. Todos foram afetados, em maior ou menor grau; independente da classe social; no entanto a população mais vulnerável acaba sofrendo os impactos financeiros de maneira diversa e muitas vezes de forma intensa e devastadora. A perda de poder aquisitivo gera inseguranças, temores e muitas incertezas. Como será o futuro?

O que fazer? Em tempos de crise é preciso rever alguns valores, sendo a oportunidade para transformar atitudes e comportamentos financeiros.

Por mais que a situação financeira esteja complicada:

1) Tenha calma e seja prudente.

Atitudes precipitadas não colaboram para a resolução de problemas. Enxergar o futuro no meio de incertezas gera ansiedade, olhar si e perceber que é capaz de superar um momento de crise é o primeiro passo para vencer a dificuldade.

2) Pratique o consumo consciente e priorize o necessário

Alguns hábitos de consumo precisam ser alterados. A realidade financeira das famílias é muito diversa: algumas famílias, mesmo na crise, possuem mais condições financeiras do que outras e isso se deve a desigualdade social que vivemos no Brasil. Independente do grau de dificuldade financeira de cada família é preciso consumir conscientemente. Fique de Olho: na produção das refeições escolha produtos da época, não compre no primeiro local que entrar, pesquise; antes de comprar questione se realmente aquele produto é indispensável; tire aparelhos da tomada; deligue a luz se não estiver no local; reutilize a água do tanque ou máquina de lavar para limpar o quintal, faça você mesmo pequenos reparos na casa; customize roupas antigas; seja criativo.

3) Enxergue possibilidades, principalmente no meio da adversidade.

Você é sua principal matéria prima, por isso busque se capacitar, encontre cursos gratuitos, identifique suas habilidades e descubra os seus talentos; seja empreendedor. As dificuldades já existe, é preciso olhar além delas.

4) Tenha um planejamento financeiro familiar.

Saiba exatamente os gastos que você possui. Relacione todos eles; priorize os essenciais: alimentação, moradia, contas fixas. As crianças também podem ser orientadas sobre a educação financeira da família e precisam fazer parte desse novo momento. Dizer “não” para alguns desejos infantis pode ser cruel para muitos pais; no entanto, ensinar sobre a realidade é imprescindível, principalmente quando o adulto acredita que vai superar esse momento difícil e é capaz de transmitir segurança para seus filhos.

5) Transforme a sua relação com o dinheiro.

No mundo capitalista em que vivemos o dinheiro é necessário. O ganho financeiro para muitas pessoas trás poder de compra, para outros é somente a possibilidade de sobrevivência. Independente do quanto você ganha, qual a sua relação com o dinheiro? Ele faz você se sentir mais poderoso; com mais status, consumindo o que está na moda e desfilando o seu poder? É necessário rever essa relação. O dinheiro precisa te servir e para isso é preciso dominá-lo. Saiba onde você gasta cada centavo do seu dinheiro, porque isso fará toda a diferença. Seja disciplinado, cuidado com a utilização de cartão, mesmo que seja cartão de débito. A consciência de que você gastou o dinheiro (cédula de papel), também é uma forma de controle.

Toda crise traz aprendizados

1) Invista em você – capacite-se, seja empreendedor

2) Adquiria novos hábitos financeiros – faça uma reserva

3) Acompanhe as mudanças – seja interessado

4) Não se acomode – seja proativo

5) Organize os seus gastos


By: Valquiria Moraes

7 visualizações

Núcleo de Apoio ao

Pequeno Cidadão

Rua Tietê, 1285

São Bernardo do Campo - SP

Fale conosco!

(11) 4367-1288

contato@pequenocidadao.org.br

cnpJ: 05218684001-16

  • Instagram
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

© 2018 desenhado à mão por Universo Expandido